Translate

terça-feira, 27 de outubro de 2015

Traquinagens de outubro (e uma enxurrada de fotos)


Após nosso retorno oficial às provas, no finalzinho de setembro, eis o que aprontamos no mês do Halloween, com muitas travessuras e muitas gostosuras:

Quem nos acompanha no Instagram já sabe que a Minnie costuma sair para trotar com a Cris de vez em quando.


Mas dessa vez surgiu a oportunidade de, finalmente, levarmos nossa filhota de 4 patas para estrear nas trilhas! Foram 13km de bastante lama e árvores caídas, e apesar de ter sido um pouco difícil para a Minnie assimilar os obstáculos (afinal, ela foi criada na Capital, empinando pipa no ventilador rs), ela se divertiu bastante! O vídeo abaixo não me deixa mentir:



video

No início ela ficou presa na guia e ficava arrastando a Cris para tentar me alcançar (ficava também se enroscando nos galhos que ela não sabia se deveria pular ou passar por baixo...rs).

Mas quando nos sentimos seguros o bastante e percebemos que a trilha era só nossa, resolvemos deixá-la solta da guia e aí sim ela se esbaldou, correndo da Cris até onde eu estava e depois parando para esperar a Cris de novo.






A Minnie se divertiu horrores, aguentou até o final do treino sem pedir colo e depois dormiu o sono do justos no carro...rsrs

"Mãe, to com sono!"
Para tirar todo o barro e pó que grudou nela, só mesmo um banhão com a tia Karol e o tio Luís, na VetMais!

______

Na segunda semana de outubro, em pleno sábado do feriado prolongado, fomos convidados pelo pessoal da Mutuka's Trail Run e da Equipe Socabota para um Treinão na Pedra do Baú e não pensamos duas vezes. Não sabemos recusar convites!

Foto pré treino com a Pedra do Baú ao fundo
Acordamos antes das 4h da manhã no sábado e caímos na estrada, dirigindo 3h até São Bento do Sapucaí para encarar 20km e mais de 1.200m de desnível positivo entre trilhas técnicas, estradas íngremes e pastos.

Do outro lado do vale, a Serra do Coimbra
Conhecíamos apenas uma ou outra pessoa, e apenas de vista e de provas passadas, mas o grupo teve uma dinâmica muito legal, com todo mundo se ajudando e sem deixar ninguém para trás (aliás, essa regra de não deixar ninguém para trás foi excelente, pois eu e a Cris estávamos fechando a fila no treino! kkkk... dormimos muito pouco e nos alimentamos muito mal antes do treino e não estávamos preparados para o tamanho da encrenca!).

O treino foi demais! Passamos por paisagens de tirar o fôlego e o terreno variou bastante, o que deixou tudo muito divertido.








Terminado o treino, após longas 5 horas, os organizadores (Edmar, Thallys e Marcos) vieram nos perguntar o que achávamos que deveria melhorar para o próximo treino. A resposta veio em uníssono: "o que tem que melhorar para o próximo? NÓS!!!" hahahaha

Survivors após 5h de perrengue! MONTANHA!
A gente riu, mas é verdade.
Para o próximo treino a gente precisa chegar melhor preparado e melhor descansado, para poder aproveitar tudo o que pode ser aproveitado nesse percurso e para atrapalhar menos o treino dos demais! Apesar de já ter agradecido diversas vezes antes, fica aqui - novamente - o nosso muito obrigado pelo convite!

Mais fotos do treinão AQUI.
____

A terceira semana de outubro eu tive que ficar de molho por conta de umas pontadas chatas nas canelas, mas no sábado estávamos inscritos para uma corrida beneficente para arrecadar fundos para o tratamento do pequeno Caio, no Chile, então lá fomos nós para Santo André correr 7km no Parque Central na provinha "Caio Rumo ao Chile".

O motivo da corrida: ajudar esse garotão sorridente a seguir seu tratamento no Chile!
Provinha bacana, super bem organizada e num percurso bem divertido, misturando 5km em asfalto (2 voltas na ciclovia) e 1km em grama, no melhor estilo Cross Country. Apesar das subidas, o percurso era bastante rápido.

De um lado, eu queria pegar bem leve, já que tinha passado a semana toda de molho... de outro lado, eu queria soltar um pouco as pernas - correndo na casa dos 5min/km - para dar um up na autoconfiança para a prova da próxima semana...

Bom, só sei que a buzina tocou, eu comecei a ultrapassar algumas pessoas e quando veio a primeira subida eu vi que estava na terra de ninguém (entre o primeiro pelotão e o grupo principal de corredores). Dava para contar só umas 5 ou 6 cabeças na minha frente, então resolvi apertar o passo para tentar me juntar a eles.

Claro que não consegui, né...rs


Mas também não perdi posição alguma até o final da prova - com exceção da primeira colocada do feminino, que surgiu sabe-se lá de onde e veio bufando no meu cangote no segundo km e depois desapareceu de vista! rsrs Corre muito a mulher!




Fechei os 6km com uma média de 4:30/km (uma grande novidade para mim, ainda mais se considerarmos as subidas do percurso), em 6º ou 7º no geral (com direito a romper a faixa com o peito e tudo! rs) e bastante feliz!

Cris cruzando a linha de chegada
Algumas pessoas deram uma só volta na ciclovia ao invés de duas (estamos de olho o.o), mas como era uma provinha beneficente e o regulamento estabelecia que não era uma "prova competitiva" (tanto é que não houve nem cômputo de tempo) não houve grilo.

Aliás, veio até medalha!



Parabéns aos organizadores (xtry.com.br) e muita força ao Caio!
Foi muito bom poder ajudar o Caio a seguir seu tratamento e ainda por cima correr uma prova divertida e bem organizada!
Para saber mais sobre o Caio e o tratamento, clique AQUI.
E quem quiser ajudá-lo também, basta entrar em sua página no Facebook (são diversas as formas de colaborar).

Por fim, vale destacar nossa sessão de recuperação muscular pós corrida:

A combinação perfeita de carbo e proteínas. Toma essa, Endurox R4!


___

Na quarta semana de Outubro acabei fazendo só um treino e ele foi um lixo...rs
Por 9km eu me arrastei esperando o "runner's high" bater e o treino finalmente ficar prazeroso, mas em vão. Não senti dores, não me senti particularmente cansado nem nada... o treino simplesmente não rendia. Parecia que eu estava me arrastando e a cabeça não entrava naquele estado de stand by normal de quando estou correndo.
Pra ajudar, lá pelo km 6 ou 7 comecei a sentir uma bolha se formando no meu pé direito, então encurtei o treino para não correr o risco de ficar com uma bolha enorme e ferrar minha prova de domingo.

Bom, no domingo foi a vez de me aventurar num tipo de prova que eu não fazia há quase dois anos... uma prova 100% asfalto! Quando tive de abrir mão da Golden Four desse ano, pensei em desistir de correr provas de asfalto novamente... isso até ver a Cris batendo o recorde pessoal dela! rs
Na mesma semana que ela correu a Golden eu me inscrevi para correr a 3ª Etapa do Circuito Athenas SP - 21km. Impulsivo assim. rsrs

No entanto, resolvi não focar o treino no asfalto e/ou velocidade. Mantive a programação normal, com treinos em trilhas e o máximo que corri de forma contínua de agosto até a prova foi 10km (os treinos de montanha foram mais longos, mas a gente corre um pouquinho, anda um pouquinho, trota mais um pouco... é bem diferente de correr 21km sem parar rs).

Meio que me arrependi de ter feito a inscrição praticamente no mesmo momento que paguei o boleto. Fiquei meio pilhado de encarar 21km direto, no asfalto, na marginal pinheiros, no meio de mais 3 mil pessoas... Mal sabia que eu ia me divertir muito nessa prova!

Não estava botando muita fé, mas não só me diverti bastante, como achei que a organização mandou muito bem! Largada separada por baias (no momento de retirar o kit você escolhia qual seria sua baia de largada: entre 5 e 6min/km; 6 e 7min/km ou 7 e 8min/km), muitos postos de hidratação, staffs alegres e sorridentes, linha de chegada animada por rock'n'roll! /,,,/

Meu objetivo era baixar em pelo menos 10min o tempo que eu havia feito na minha primeira e única meia de asfalto até então. Pelo menos era isso que eu falava para os outros. Para mim mesmo eu dizia que só ficaria feliz se conseguisse fazer a prova na casa de 1h45... rs
O problema é que se eu vasculhar meu perfil no Garmin Connect/Strava, em todo o tempo que eu corro não deve ter nem 10 treinos/provas onde eu fiquei abaixo de 5min/km de pace médio. Logo, tentar fazer 21km de uma vez nesse ritmo parecia ser um pouco ousado demais para o que eu vinha treinando.

Dessa forma, alinhei lá na frente para tentar evitar o paredão de corredores que normalmente se forma nas largadas de provas muito cheias e evitar perder segundos preciosos. A tática funcionou.
Em 200m já estava correndo no meu próprio ritmo, sem ter que me preocupar em achar um espacinho para ultrapassar corredores emparelhados ou coisas do tipo.

Largando ainda com o pensamento de "onde foi que eu me meti"
O primeiro km acabou sendo num ritmo quente demais para o meu gosto, mas a verdade é que eu nem senti que estava naquele pace. A partir do km 2  resolvi correr 1 km "fraco" e 1 km "forte" (mais ou menos 10 segundos de diferença de um pra outro) até pelo menos o km 16 e dali em diante descer o sarrafo.

O planejamento me pareceu bem adequado e mesmo com todas as subidas na Ponte Estaiada (3 vezes, se não me falha a memória) foi possível manter o pace médio dentro do meu objetivo.

Estava me sentindo ridiculamente bem disposto o tempo todo. Sem incômodos nas canelas, sem reclamações dos joelhos, tudo ok!

Aí, no km 14 comecei a sentir um desconforto gastrointestinal... ¬¬

"Eitcha! Tem algo errado!"
Fiquei até com receio de apertar o ritmo, pois o incômodo aumentava quando a velocidade subia. A culpa foi minha, logicamente... Encher a cara de Heineken com provolone como jantar pré prova não parecia mesmo promissor. rs



Então, ao invés de descer a lenha a partir do km 16, deixei pra fazer isso só a partir do km 19, quando já era possível ver os banheiros químicos da área da chegada... vai que, né! rsrsrs

Eu sei que nessa de ficar fazendo 1km forte e 1km fraco eu nem estava mais de olho no tempo total de prova.



Só quando vi o pórtico de chegada é que percebi que não só eu iria bater minha meta como eu também ia dobrar a meta... e quando atingisse a meta, dobraria a meta novamente (ROUSSEF, Dilma) eu ia bater a meta com folga!

Fechei a prova baixando meu recorde pessoal em 18 minutos e ao som de Led Zeppelin no pórtico de chegada!! \o/

Pra fechar o dia, todos os 4 bateram seus recordes pessoais!




Enfim, é isso. Correr uma meia maratona em asfalto depois de tanto tempo se mostrou mais divertido do que eu esperava. Mas ainda assim estou morrendo de saudades de correr uma prova de montanha... então novembro que nos aguarde!

A gente se tromba nas trilhas! ;-)

2 comentários:

Diego Denega disse...

Parabéns pelo RP Gabriel!! Senão tivesse mal teria ido melhor ainda. Sua história me lembrou da meia de Pinhais que fiz esse ano, mas a minha não teve um final feliz kkkk invadi o banheiro de uma família na rua.
Sou louco pra levar meu cachorro pra trilha mas ainda não tive coragem. Gostei da forma que treinaram a Minie! Abs e bons treinos provas! Esse fds posto meu relato da copa brasil.

Gabriel C. disse...

Valeu, Diego!
Rapaz, nesse percurso da Athenas eu não teria chance de invadir banheiro de ninguém... o máximo que daria pra fazer seria pular pra beira do Rio Pinheiros ou no canteiro central entre os carros e os corredores... Não gosto nem de pensar! hahaha
Cara, leva seu cachorro pra correr com você sim! Nos dias que tiver que fazer rodagem leve (em parques, por exemplo), leva o dog pra trotar junto. Aí quando ele estiver acostumado você mete ele na trilha! rsrs
Depois eu passo lá pra ver o relato então!
Abraços!