Translate

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Há uma luz no fim do túnel

Bem amigos da rede globo, voltamos com os acontecimentos mais recentes no front "edema ósseo x Meia da Disney".

Depois de mais uma semana com o humor oscilando mais que joão-bobo e mudando de ideias como quem muda de roupas ("ah, vou tentar andar os 21km abaixo do tempo de corte"; "quer saber, não vou nem pisar na linha de largada"; "nhé, vou correr de qualquer forma e se quebrar, quebrou"), a Cris me convenceu a procurar uma segunda opinião médica.

A consulta foi bem extensa e foi além do padrão "lê o laudo da ressonância, pergunta se dói aqui ou ali e tchau, passar bem".



Conversamos bastante com o médico e ele disse estar confiante na minha recuperação até a data da prova (recuperação, no caso, deve ser entendido simplesmente como "ficar sem dor", já que um quadro de edema como o meu pode levar até 3 meses para ser completamente curado).

Claro que até lá eu não poderei fazer qualquer exercício que envolva carga ou impacto na área afetada (aliás, vendo o CD da ressonância, o médico percebeu que estou com edema NAS DUAS pernas; não apenas na esquerda), então mesmo as minhas caminhadas sub 9min/km estão fora de cogitação.

Preciso arrumar um jeito de administrar os prejuízos cardiorrespiratórios (piscina, que seria a melhor opção, em SP não rola $$)...

Resumindo, é isso... o estrago está feito, não existe remedinho milagroso, fisioterapia/fortalecimento/alongamento não auxiliam em nada nesse momento, então o negócio é descansar as pernas e torcer para estar sem dor até o dia 11/01/14 - o que o médico acredita ser possível (de fato, o médico está tão otimista que pediu para que eu envie a ele uma foto com a medalha e ao lado dos mascotes da Disney. Aí está uma recomendação médica que pretendo seguir! rs).

Se tudo der certo e eu estiver sem dores na véspera da prova, aí é partir pro abraço e tentar trotar gloriosamente os 21km do percurso, independentemente de pace, tempo-alvo e etc., já que nessa história toda não consegui fazer um só treino focado em meia maratona.

O importante é que meu humor está melhor, estou mais otimista e acredito que pensando positivo posso acelerar minha recuperação.

Continuem torcendo e mandando vibrações positivas!

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Disney 2014: O sonho acabou?

Querido diário...

Faltando exatos 31 dias, 12 horas e 2 minutos para o que seria minha estreia na meia maratona, está na hora de encarar a realidade...
Depois de reclamar de dores nas pernas por diversas vezes aqui (desde setembro, veja só), eis que hoje a bomba me foi entregue. Estou com um edema ósseo da diáfise tibial do terço médio da perna esquerda (muito embora minha perna direita sempre tenha doído MUITO mais que a esquerda).

E aí que meus planos para a estreia na meia maratona da Disney escorrem agora pelo ralo diante dos meus olhos.
Os planos já vinham sendo modificados de tempos em tempos, mas agora - ao que tudo indica - não tem mais jeito... No início, minha meta era fechar minha primeira meia em torno de 1h45... aí fiquei um mês sem treinar e percebi que era melhor mudar a meta para algo em torno de 1h50, depois comecei a me contentar com a perspectiva de fechar a prova abaixo de 2h... bom, depois da última consulta médica, qualquer esperança de correr (pura e simplesmente correr) dentro de um mês foi sepultada.

Oooopppssss... fail.


A vontade que dá é de "xingar muito no twitter", gritar impropérios aos quatro ventos, maldizer o destino e deitar em posição fetal repetindo diversas vezes "porque só comigo???". Mas nada disso vai adiantar, não é mesmo? O estrago já está feito.

Preciso é criar coragem, encontrar motivação e adaptar meus planos mais uma vez. Nessa era do "#desafiofulanadetal", "#projetobeltrana" e "#colaemmimefaçaoqueeudigo", tá na hora de eu criar meu próprio desafio, engolir o choro e administrar os prejuízos.
Lanço aqui o meu #Desafio21kmCaminhandoSemSerCortado ou #MeiaMaratonadeCaminhadadaDisney...ou alguma palhaçada do gênero.

Como a inscrição já foi feita mesmo, para não sentir que joguei meu dinheiro no lixo (tá, eu sinto isso assim mesmo), meu novo objetivo é completar a meia maratona caminhando (marcha atlética?) sem ser "recolhido" pelo ônibus da organização da prova (que vai retirar da pista todos os corredores que não conseguirem manter o pace mínimo de 16min/milha).

Pensando bem, o pace de corte é bem alto... normalmente eu caminho a 9:15min/km mesmo e, teoricamente, daria pra concluir a prova inteira andando. A questão é que nunca caminhei 21km em ritmo acelerado e constante... Sem contar que caminhar por muito tempo é chato pra burro! rs

Será que vai dar certo?

Por enquanto, o que me resta é me conformar com essa nova realidade, adaptar-me a ela da melhor forma possível e tentar usar esse novo objetivo como motivação... Não vai ser fácil. Conto com o apoio e a torcida de vocês!

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Notas curtas: Sobre o novíssimo tênis de R$1.832,00 que eu TENHO que comprar


É só abrir uma página qualquer da internet para ver pipocando banners de propaganda de tênis e outros equipamentos de corrida.

Enquanto ficamos ali babando nos anúncios e "namorando" os produtos é praticamente impossível não pensar em como tal ou qual equipamento alteraria nossa performance, não é mesmo?

O novíssimo tênis ultra-über-blaster tecnológico de R$1.832,00: 


O que eu acho que ele fará por mim:





O que ele realmente pode fazer por mim:




Ideia chupinhada na cara larga do excelente http://whatisultra.tumblr.com




quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Notas curtas: Neurótico, eu?!

Tenho uma planilha do Excel onde coloco cada prova que corri, a distância percorrida, o tempo gasto e o tênis utilizado. Em outra aba dessa planilha discrimino a quilometragem rodada com cada um dos meus pares de tênis. Numa terceira aba está o calendário de provas.



Além disso, meu histórico de exercícios no Endomondo (o aplicativo de GPS para celular que uso para registrar minhas provas e treinos - quando há sinal para celular) Garmin Connect mais parece um pequeno diário de adolescente de tanta informação (só faltam os papéis de bala grudados e meu nome assinado diversas vezes rsrs): ali estão incluídos os tênis usados, o clima/temperatura no dia, se estava chovendo, se usei algum tipo de equipamento novo, se tive alguma bolha, se doeu aqui ou acolá, sem contar as informações básicas (distância, pace médio, pace por volta, ganho de elevação e etc.).



Pode parecer uma neurose despropositada, mas consigo achar uma utilidade para cada uma dessas informações.

Apenas como exemplo, hoje estava me perguntando há quanto tempo essa maldita dor nas canelas vem me incomodando... abri minha planilha e o Endomondo e voilá: descobri que comecei a me queixar das dores em meados de setembro e em 25 de setembro foi quando o bicho realmente pegou.
Se eu quiser saber o tipo de tênis que estava usando quando senti o incômodo pela primeira vez, para tentar achar um bode expiatório para a minha dor, ou quiser saber o volume e intensidade de treino nas semanas que precederam a dor, é fácil. Está tudo na planilha!

Bom, ter as informações à mão é uma coisa. Interpretar essas informações e agir em conformidade com elas já é outro papo...

E você, também é um neurótico das planilhas ou o único registro que você mantém dos seus treinos e provas está relacionado ao eixo tempo/distância do GPS?